D

Data de exercício – Dia em que uma opção é exercida. O comprador da opção tem o direito de exercê-la, caso lhe seja vantajoso. O dia éstabelecido para esse efeito é chamado a data de exercício

Data de expiração – Último dia em que uma opção pode ser exercida (opções americanas) ou o dia em que a opção pode ser exercida (opções europeias). A data de expiração é estabelecida nas condições gerais de cada contrato

Data de Registo – Última data em que o accionista deve deter oficialmente um conjunto de acções, por forma a que possa ter direito a receber dividendos. Depois desta data, diz-se que uma acção passa a estar ex-dividendos

Data Ex-Direitos – Data em que uma acção passa a ex-direito, significando isto que desde esse dia deixa de ter direito a participar no aumento de capital anunciado. Neste dia, a acção ajusta para um valor teórico, cujo cálculo resultará da leitura e interpretação das condições expressas para esse aumento de capital

Data Ex-Dividendos – Data em que uma acção passa a ex-dividendo, significando isto que desde esse dia deixa de ter direito a receber o respectivo dividendo. Neste dia, em teoria, a acção deve corrigir logo na abertura, o valor do dividendo bruto a distribuir

Data Valor – Data de liquidação de uma transacção

Day trader – Tipo de corretores nos mercados identificados pelo seu estilo de intervenção, que consiste em manter posições abertas apenas durante o dia, encerrando no final de cada dia qualquer posição que detenham

Dead Cat Bounce – Forte subida nas cotações depois de uma queda abrupta. Normalmente, esta recuperação resulta do facto de existirem vendedores a descoberto (“short sellers”) que estão a fechar posições no mercado, comprando as acções e encaixando as respectivas mais-valias

Dealer – Intermediário na transacção de títulos em Bolsas organizadas, que também pode comprar e vender títulos para a sua própria carteira. Em Portugal, equivalem às sociedades financeiras de corretagem

Deep-in-the-money – Diz-se de uma opção que se fosse imediatamente exercida, dadas as actuais condições de mercado, geraria um lucro muito significativo

Deep-out-of-the-money – Diz-se de uma opção que, nas actuais condições de mercado, se encontra distante de poder ser exercida com lucro

Deflação – Redução do nível geral de preços de um país

Delta – Indicador que mostra quanto é que o preço de uma opção/warrant varia, quando o activo subjacente sobe ou desce uma unidade, supondo que todos os outros factores se mantêm constantes (preço de exercício, maturidade, taxa de juro sem risco, dividendos e volatilidade)

Demonstração de resultados líquidos – Documento contabilístico periódico de uma empresa que ilustra a proveniência dos proveitos e custos que concorrem para os resultados líquidos apurados num determinado período

Depósito – Operação bancária em que os bancos actuam como captadores de fundos, assumindo a qualidade de devedores perante os depositantes a quem pagam um certo juro (operações passivas). Esses fundos são, por sua vez, geradores de crédito (operações activas). Consoante o grau de exigibilidade e o tempo de utilização, podemos distinguir as seguintes modalidades: depósitos à ordem, depósitos a prazo e depósitos com aviso prévio

Depreciação – Redução no valor de uma moeda (ou de outro activo financeiro), no caso em que a taxa de câmbio é livremente determinada pelas forças do mercado

Depreciar – Desvalorizar; diminuir o preço; por exemplo, quando a cotação de uma acção desce, diz-se que ela se depreciou

Depressão – Condição económica caracterizada por preços em queda, poder de compra reduzido, excessos de oferta em relação à procura, desemprego crescente, acumulação de stocks, deflação, falta de confiança e medo por parte da população em geral e um decréscimo geral da actividade empresarial. A Grande Depressão de 1930, centrada nos EUA e na Europa, teve repercussões a nível mundial e constitui um bom exemplo deste fenómeno

Derivado – Instrumento financeiro cuja rendibilidade depende do valor de outros activos, como acções, obrigações ou mercadorias. É o caso dos contratos de futuros e opções

Desintermediação – Processo de realização de operações financeiras directamente entre as partes interessadas sem a intervenção de intermediários financeiros

Desvalorização – Redução no valor de uma moeda, no caso em que a taxa de câmbio não é livremente determinada pelas forças do mercado

Desvio padrão – Medida estatística da variabilidade de um conjunto de observações. É uma medida de dispersão muito utilizada e que se baseia nos desvios das observações em relação à média

Diferenciação – Processo de distinção de um determinado produto por forma a torná-lo mais facilmente identificável por parte do consumidor, utilizando as quatro variáveis clássicas: preço, produto, promoção e ponto de venda

Direito de Incorporação – Direito atribuído aos accionistas de uma empresa, que no âmbito de uma operação de aumento de capital por incorporação de reservas lhes permite receber novas acções na proporção das anteriormente detidas. É equivalente ao direito de subscrição a preço zero, uma vez que um aumento de capital por incorporação de reservas consiste apenas na transformação desta rubrica contabilística em capital social, sem qualquer entrada em numerário

Direito de Subscrição – Privilégio atribuído aos accionistas de uma empresa, que no âmbito de uma operação de aumento de capital lhes permite comprar novas acções antes das mesmas serem oferecidas a outros investidores. O objectivo destes direitos é proteger os actuais accionistas dos efeitos de diluição da propriedade (os accionistas têm o direito de comprar novas acções na proporção das anteriormente detidas) e do valor (os direitos podem ser vendidos pelos accionistas que não desejem acompanhar o aumento de capital)

Dispersão – Percentagem de acções representativas do capital social de uma empresa que se encontram na posse do público, ou seja, cuja propriedade não está concentrada num número restrito de investidores

Diversificação – Estratégia de investimento distribuindo os recursos disponíveis por um número considerável de activos diferentes, de modo a reduzir a exposição da carteira global a uma ou mais fontes de risco

Dívida garantida – Dívida que, no caso de incumprimento, tem direitos prioritários sobre determinados activos

Dívida prioritária – Dívida que, no caso de falência, deve ser liquidada antes da dívida subordinada

Dívida subordinada – Dívida de uma empresa que, em caso de falência, apenas atribui direitos aos seus titulares após a integral satisfação dos direitos dos credores principais

Dividendo especial – Dividendo com pouca probabilidade de repetição no futuro

Dividendo regular – Dividendo que uma determinada empresa espera poder distribuir no futuro aos seus accionistas, numa base estável

Dividendo – É a fracção dos lucros da empresa cotada que é distribuída aos seus accionistas. Normalmente, sempre que uma empresa obtém lucros num determinado exercício, decide distribuir, no ano seguinte, uma parte destes aos detentores de acções. O montante distribuído é proposto pelo Conselho de Administração e aprovado pela Assembleia Geral, sendo pago habitualmente numa base anual. Para os accionistas, o dividendo constitui uma importante fonte de rentabilidade, para além da valorização do preço do título

Dividend Yield – Rácio entre o dividendo por acção e a cotação de uma acção. Corresponde à rendibilidade da acção ignorando as flutuações no respectivo preço

Dow Jones Industrials – Índice da Bolsa de Valores de Nova Iorque constituído pelos trinta títulos mais representativos das maiores empresas industriais americanas cotadas

Downsizing – Estratégia empresarial em que uma empresa reduz o seu tamanho e complexidade, tentanto aumentar os seus rácios de eficiência e rentabilidade. Esta estratégia é implementada normalmente através de uma reestruturação, que significa, na prática, redução de efectivos e a venda de activos ou áreas de negócio não directamente ligadas com o negócio principal da empresa

Dumping – No mercado bolsista, significa vender largas quantidades de acções sem qualquer preocupação pela evolução da cotação ou pelo seu impacto no mercado. Em termos económicos, significa a venda de uma mercadoria abaixo do seu custo marginal. Esta estratégia gera perdas para a empresa, mas permitirá a eliminação progressiva da concorrência. Precisamente por isso, é uma prática impedida por lei

Duplo Fundo (Double Bottom) – Padrão gráfico que mostra uma queda no preço, seguida de uma recuperação, e com uma nova queda posterior para o nível atingido na primeira queda (nível de suporte). A interpretação deste padrão leva a concluir que a acção apresenta um forte suporte naquele nível, não devendo cair mais. Se tal acontecer, é muito provável que a cotação venha a atingir um novo mínimo, falhando o duplo fundo

Duplo Topo (Double Top) – Padrão gráfico que mostra uma subida no preço, seguida de uma queda, e com uma nova subida posterior para o nível atingido na primeira subida (nível de resistência). A interpretação deste padrão leva a concluir que a acção apresenta uma forte resistência nesse nível, não devendo subir além desse valor. Se tal acontecer, é muito provável que a cotação venha a atingir um novo máximo, falhando o duplo topo

Duração – Medida utilizada para descrever a sensibilidade do preço de uma obrigação com cupão a mudanças na taxa de juro. Toma em conta quer o prazo quer a taxa de cupão da obrigação