O

Obrigação convertível – Obrigação que contém uma opção para conversão de obrigações em acções da empresa emitente, opção esta que poderá ser accionada num espaço temporal definido.

Obrigação de cupão zero – Obrigação que não paga juros periódicos, sendo vendida a um preço abaixo do par, por forma a proporcionar aos investidores uma compensação sob a forma de valorização do capital em detrimento do recebimento regular de juros

Obrigações – Valores mobiliários representativos de dívida de médio e longo prazo de uma qualquer entidade em relação a terceiros, que tipicamente conferem ao seu titular o direito a recebimentos periódicos de juros durante a vida útil do empréstimo e ao reembolso do capital na data de maturidade do empréstimo

Obrigações de taxa fixa – Obrigações em que o pagamento de juros é calculado de acordo com uma taxa previamente definida (taxa fixa)

Obrigações de taxa variável – Obrigações em que o pagamento de juros é calculado de acordo com uma taxa indexada a uma taxa variável de mercado (ex: Euribor ou Libor)

Oferta Pública de Aquisição (OPA) – Proposta de aquisição lançada por um oferente (pessoa singular ou colectiva), em determinadas condições, de um conjunto de valores mobiliários (acções, obrigações, etc.) detidos pelos respectivos destinatários da oferta (titulares dos valores mobiliários em causa)

Oferta Pública de Troca (OPT) – Operação de Bolsa que consiste numa proposta de troca de acções sugerida por uma sociedade cotada A aos accionistas de uma sociedade B, no sentido de assegurar a aquisição desta última

Oferta Pública de Venda (OPV) – Lançamento por uma dada entidade (oferente) de uma proposta de venda, em determinadas condições, de um conjunto de valores mobiliários, destinada a um universo de pessoas (destinatários da oferta). Esta venda visa, em geral, a obtenção de uma dispersão mínima de capital, que lhe permita a admissão à cotação numa bolsa de valores

Opção – Contrato normalizado pelo qual o comprador adquire o direito de comprar (opção de compra ou call) ou de vender (opção de venda ou put) uma quantidade específica de um determinado bem ou instrumento financeiro a um preço fixado (preço de exercício), numa data (data de expiração) determinada (opções de estilo europeu), ou durante o período que até ela decorra (opções de estilo americano), pagando, por isso, um dado preço (prémio). O vendedor assume a obrigação de vender ou comprar o referido activo, nas condições definidas, no caso de o comprador decidir exercer o seu direito

Opção de compra (Call option) – Direito de comprar o activo subjacente, objecto do contrato, a um preço fixado (preço de exercício)

Opção de estilo americano (American Option) – Opção que pode ser exercida pelo comprador em qualquer altura até à expiração (maturidade)

Opção de estilo europeu (European Option) – Opção que pode ser exercida apenas na data de expiração (maturidade)

Opção de venda (Put option) – Direito de vender o activo subjacente, objecto do contrato, a um preço fixado (preço de exercício)

Opção Exótica – Warrant cujo activo subjacente, preço de exercício, cálculo do valor intrínseco ou prazo de vencimento não é standardizado, factor este que o distingue dos warrants convencionais. Exemplos de opções exóticas: Warrants look-back, chooser, reset, capped, digital, ranges e knock-out

Opções OTC – Opções não titularizadas, também designadas Opções Over-the-counter. Os termos e condições para este tipo de opções OTC são acordados individualmente entre as partes envolvidas na transacção

Open Interest – Número de contratos de opções ou futuros em aberto no mercado, ou seja, ainda não exercidos ou fechados

Operação de bolsa – Geralmente, chama-se operação de bolsa a uma transacção no mercado. Uma compra ou uma venda constituem operações de bolsa

Operação de Redesconto – Operação de concessão de um empréstimo por parte de um Banco Central a um banco comercial, para resolver situações de dificuldades de tesouraria. Esse empréstimo é remunerado à designada taxa de desconto

Orçamento (Budget) – Plano em que se quantificam as projecções para os custos e proveitos de uma empresa, a ocorrer num dado período futuro

Ordem ao melhor – Operação de compra ou venda de títulos efectuada com base na melhor cotação possível naquele momento preciso

Ordem com limite – Ordem de Bolsa, na qual se põe um limite à cotação, máxima, se se trata de compras, ou mínima, se se trata de vendas

Ordem de bolsa – Quando um investidor pretende fazer uma compra ou uma venda de um título, em bolsa, é necessário dar ao intermediário financeiro uma ordem na qual tem de designar a espécie do título, a quantidade, o preço a pagar por unidade e o prazo de validade da ordem. Se for uma ordem de compra, o preço indicado é o preço máximo a que está disposto a comprar esse título, se se tratar de uma venda, é o preço mínimo a que está disposto a vender

Ordem não-fraccionável – Ordem de compra ou venda de um título ou de um contrato, mediante o qual o corretor é instruído para efectuar ou a totalidade da quantidade desejada ou nada, embora não necessariamente a um único preço

Ordem não-fraccionável e ao mesmo preço – Ordem de compra ou venda de um título ou de um contrato, mediante o qual o corretor é instruído para efectuar ou a totalidade da quantidade desejada a um mesmo preço, ou nada

Out-of-the-Money – Situação em que o preço de exercício de uma opção ou warrant se situa acima (call) ou abaixo (put) do preço corrente do activo de base. Uma opção out-of-the-money perde todo o seu valor na data de vencimento